segunda-feira, 22 de março de 2010

Não há amanhã

Aqui eu estou de novo
Apenas para dizer mentiras na tua cara
Apenas para mostrar que tu és uma desgraça
Não merece nem estar vivo

Enquanto teus olhos fixos nos céus
Esperando um milagre
Não consegue ver nada ao teu redor
Tudo está apodrecido

O tempo já não te pertence mais
A vida já deu o teu ultimo suspiro
A escuridão tomou conta da tua vista
E ainda pensando no amanhã

Não há amanhã!
Como a última pétala que cai de uma flor
Como um deus que não acredita em seu poder
Não há amanhã!

Teus olhos não verão a salvação
Ninguem ouvirá teu choro
Nenhum anjo para guiar o teu caminho
De nada adiantou tua adoração

O tempo já não te pertence mais
Ninguém notará a tua morte
Bem-vindo a eterna noite
E ainda pensando no amanhã

Não há amanhã!
Como a última pétala que cai de uma flor
Como um deus que não acredita em seu poder
Não há amanhã!

2 comentários:

  1. Ficou interessante, eu gosto de alguma forma dos seus escritos!
    Eles fedendo como uma boca ao acordar!

    ResponderExcluir
  2. hmmm...
    emptiness feeling on...
    no hopes for...
    sadly life, he still alive...
    if is there no reason to go on, it's much better not to be here...
    'cos the life is much to be wasted like this...

    even that i liked the poem
    *mouahs* cutie haziel xD

    ResponderExcluir

Sociable